Relacionamento (62)

Sub-categorias

Vitrine (8)

Ao longo dos seus 20 anos de existência, a ANEPAC vem trabalhando para o fortalecimento do segmento de agregados no Brasil, dentro do cenário econômico brasileiro, através de diversas ações junto aos setores público e privado. Muito tem sido feito neste período e os resultados são inegáveis.

Pensando em intensificar ainda mais este trabalho, a entidade está promovendo um redirecionamento de suas ações comerciais que têm como objetivo o estreitamento das relações com seus públicos, especialmente associados e parceiros comerciais.

Conheça a vitrine de produtos destinados aos parceiros da ANEPAC.

Ver itens ...

SOMAR Mineradora recebe o seu quarto Prêmio Chico Mendes.

 

A multipremiada SOMAR Mineradora recebeu o seu quarto troféu do Instituto Chico Mendes, na última semana, em São Paulo, pelas boas práticas de sustentabilidade utilizadas em mais de 30anos de atividades no setor da mineração de areia na Região Metropolitana de Porto Alegre. “Em um segmento importante como o da mineração de areia para a economia do País e para o setor da construção civil, é muito importante valorizar bons exemplos como o da SOMAR. Nossa área especializada tem feito avaliações muito positivas da empresa por meio de seus relatórios e visitas técnicas”, disse o presidente do Instituto Chico Mendes, Vito Milano.


A premiação criada para incentivar e disseminar a aplicação de novos conceitos de desenvolvimento sustentável é dividida em várias categorias e abrange a gestão responsável pública e privada, empreendimentos sustentáveis, produtos ecologicamente corretos e ações de destaque na área socioambiental. As empresas inscritas são analisadas por técnicos do Instituto Chico Mendes dentro de critérios que levam em consideração o potencial de poluição e grau de utilização de recursos naturais baseado na lei 10165/2000, observando-se a gestão de negócios e a gestão socioambiental, além de outros critérios pertinentes a cada uma das categorias do prêmio.

Quase 500 empresas se inscreveram no PROCERT das quais um pouco mais de 45 obtiveram a pontuação necessária para receber o aval da certificação e a autorização para a utilização do Selo Verde que promove a distinção e a valorização das marcas junto aos seus mercados consumidores.

A diretora executiva, Veronica Della Mea e a engenheira ambiental da empresa, Fernanda de Souza Silva, além de receberem uma das mais importantes premiações da área ambiental, acompanharam durante o dia o 4°Fórum Empresarial Chico Mendes de Sustentabilidade sobre o tema “Educação Ambiental – Ferramenta Base para Sustentabilidade Empresarial”, que reuniu nove especialistas.  “Nossa equipe, preocupada com a sustentabilidade como parte importante da gestão da empresa, vê reconhecido o seu trabalho com a premiação pela quarta vez consecutiva do Prêmio do Instituto Chico Mendes, que se soma as certificações nacional e internacional do ISO 14001/2015 de gestão ambiental e ISO 9001/2015 de gestão da qualidade”, diz Veronica Della Mea.

A primeira palestra do evento foi ministrada pelo biólogo Marat Guedes Barreiro Junior, auditor líder nas Normas NBR ISO 9001. 14001, FS 22000, seguido de Joana Da Silva Burgos Sousa,  supervisora de Relações Institucionais do Parque Ambiental do Consórcio de Alumínio do Maranhão – Alumar, Glacidalva César Araújo de Andrade, gerente de Projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Eficiência Energética da Eletrobras Distribuição Roraima, Jônathas Malaguth Costa, assessor de Meio Ambiente da Base Hidrográfica da Marinha em Niterói, Rogério Naccache, do Instituto  Jogue Limpo, onde tem a função de  garantir metas alinhadas com o Ministério do Meio Ambiente e o jornalista Ricardo Voltolini, diretor da plataforma Ideia Sustentável.

No período da tarde, o case ambiental do Sebrae Ceará foi apresentado pelo engenheiro civil Carlos Vianna Freire Júnior e na segunda apresentação, a bióloga e coordenadora de Educação Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Rachel Marmo Azzari Domenichelli, comentou os desafios da educação ambiental integrada à gestão estadual.  Ela é autora dos livros Sustentabilidade no Ambiente Escolar e Almanaque do Fundo do Mar, pela Editora Panda Books. Logo após, o engenheiro Lucas Vincícius Poletto Cardoso mostrou os resultados do case RAC-Engenharia e, por último, a plateia ficou atenta para ouvir o ambientalista Ulisses Girardi, presidente do Grupo Visafértil, empresa consagrada na produção de adubo orgânico com matérias-primas renováveis de indústrias e agroindústrias.

World Mining Congress 2018

O 25º Congresso Mundial de Mineração (World Mining Congress) será realizado entre os dias 19 e 22 de junho de 2018, em Astana, no Casaquistão.

O congresso é um evento global da indústria de mineração, que é realizado desde 1958 e reúne especialistas e cientistas de diferentes países que atuam no setor de desenvolvimento de depósitos minerais sólidos . 

Comemorando o 25º Aniversário, o Congresso Mundial da Mineração irá abordar desde a exploração e extração até o enriquecimento, desde avaliação de risco até atrair financiamento internacional. Paralelamente à conferência, haverá a exposição especializada internacional, bem como uma série de turnês industriais durante os quais os participantes serão apresentados com as instituições científicas e as empresas industriais do país anfitrião.

Espera-se que mais de 2000 delegados de 50 países do mundo façam parte do World Mining Congress em Astana, em uma exposição participarão de mais de 300 empresas.

 

Mais informações: https://www.wmc2018.org/en/

EXPOSIBRAM Amazônia 2018

Em 2018, EXPOSIBRAM Amazônia chega à 5ª edição, que conta também com a realização do Congresso de Mineração da Amazônia e a Exposição internacional de Mineração.

A Amazônia é uma das regiões com maior potencial mineral do mundo. Confere ao Brasil um dos desafios fundamentais para a nova economia mundial: produzir riquezas aliadas ao uso racional dos recursos disponíveis. Tudo isso com respeito ao meio ambiente, com responsabilidade e com promoção social. Diante deste cenário, o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) estimula há anos a atuação responsável por parte das mineradoras, desenvolvendo debates regionais, nacionais e internacionais relacionados ao assunto.

Informações gerais

http://portaldamineracao.com.br/exposibramamazonia/

Data: 

29 de outubro a 1º de novembro de 2018.

Horários de funcionamento:
O congresso ocorre das 14h às 17h30. É necessário fazer inscrição para participar.
A exposição está aberta à visitação do público, das 15h às 21h.

Local:
Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia – Avenida Doutor Freitas, S/N, Marco – Belém – Pará – Brasil

Principais setores participantes:
Indústria, governo e serviços.

Público-alvo:
Profissionais e pesquisadores dos setores públicos e privados, empresários, estudantes e professores, principalmente da Amazônia do Brasil.

Expectativa de público:
10 mil visitantes, durante os quatro dias de evento.

M&T EXPO 2018

A M&T EXPO – Feira Internacional de Equipamentos para Mineração e Construção completa 23 anos, com a realização de uma nova edição, em junho de 2018.

Considerado o maior evento de negócios do setor na América Latina e uma das principais exposições do segmento em nível mundial, a feira, promovida a cada três anos, tem sua trajetória bem-sucedida ligada diretamente à evolução da área de máquinas no Brasil.

 

Informações gerais;

Data: 5 a 8 de Junho, 2018

Horário: 13h às 20h

Local: São Paulo Expo, SP

http://www.mtexpo.com.br/

49º Congresso Brasileiro de Geologia

O 49º Congresso Brasileiro de Geologia (49 CBG) será realizado de 20 a 24 de agosto de 2018, na Cidade do Rio de Janeiro, no Centro de Convenções Sul América, com o objetivo de integrar a academia, empresas, profissionais e, também, a sociedade, através da realização de palestras, discussões, cursos e eventos paralelos na área de Geologia e Geociências, incluindo os Simpósios de Vulcanismo e Ambientes Associados e do Cretáceo do Brasil.

Os congressos brasileiros são tradicionalmente realizados pela Sociedade Brasileira de Geologia de dois em dois anos. Assim, o congresso de 2018 será organizado com a missão de avaliar os principais acontecimentos dos últimos dois anos, com muita coisa a ser comemorada, em contraponto à necessária reflexão profunda sobre o futuro da Geologia e das Geociências na construção do futuro de nosso País.

Mais informações: www.49cbg.com.br

Contribuição CFEM

 

A ANEPAC em negociação com o DNPM conseguiu tornar mais justa a alíquota de recolhimento da CFEM para as empresas de agregados para construção civil que passa a ser de 1% à partir de agora.

Para garantir a alíquota é necessário seguir os seguintes passos: Ao entrar no sistema para gerar o boleto da contribuição, aparece a pergunta “a substância possui um tipo de usos específico?” – O contribuinte deve responder SIM. Em seguida, vai abrir um campo onde se lê “construção civil” e a alíquota de 1%.

 

A CFEM é devida toda e qualquer pessoa física ou jurídica habilitada a extrair substâncias minerais para fins de aproveitamento econômico. Ela deve ser paga mensalmente até o último dia útil do mês subseqüente por meio de boleto bancário gerado à partir do site do DNPM (www.dnpm.gov.br).

Curso Ciclo do Concreto. Qual é minha responsabilidade?

 

O curso Ciclo do Concreto foi preparado para esclarecer e sensibilizar os participantes para as responsabilidades de cada profissional em todas as etapas do concreto desde à matéria-prima, produção, transporte, recebimento, lançamento/aplicação, acabamento, cura e manutenções preventiva e corretiva.

Público-alvo: Engenheiros, técnicos, mestres de obras, consultores, estudantes e profissionais de construtoras, concreteiras e indústrias de pré-fabricados ligadas às etapas do Ciclo do Concreto.

Data: 16 de setembro 2017

Local: Centro Universitário Newton Paiva - Unidade Silva Lobo - Belo Horizonte/MG

Programação:

8h – Módulo I - Matéria-prima e produção

  • Conceitos de concreto
  • Matéria-prima
  • Controle
  • Produção do concreto
  • Transporte

10h – Caffee Break

10h15 – Módulo II - Obra

  • Solicitação do concreto
  • Recepção (critérios de avaliação)
  • Lançamento
  • Adensamento
  • Acabamento
  • Cura

 12h – Encerramento

Instrutor: Jonhson Rigueira – Engenheiro civil graduado pela UFMG, mestre e doutor pela Universidade Politécnica de Valencia (Espanha). Com mais de 15 anos de experiência, nacional e internacional, já atuou nas indústrias do cimento, agregado, concreto, aditivos e pré-moldado. Diretor da Ribeiro Rigueira Engenharia e Consultoria; diretor regional do Instituto Brasileiro do Concreto – IBRACON/MG e professor de pós-graduação no Instituto IDD – Curitiba, ministrando a disciplina de Concretos Especiais.

Inscrições: https://www.sympla.com.br/ciclo-do-concreto-qual-a-minha-responsabilidade__167470

Informações: (31) 2535-7464 ou contato@a2bcomunicacao.com.br

 

Vem aí o Concrete Show 2017

O Concrete Show South America é um evento forte e consolidado que há mais de dez anos, reúne em São Paulo, a verdadeira força da construção civil mundial.

Com o objetivo de oferecer novas oportunidades e de fomentar a competitividade e o desenvolvimento do setor, o Concrete Show South America oferece ao mercado a plataforma ideal para o lançamento de novos produtos, aproximação entre empresas e clientes, vendas e networking.

 

Onde será realizado:

Centro de Exposições São Paulo Expo

Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 - São Paulo - SP – Brasil | 04329 900

 

Informações e credenciamento:

http://www.concreteshow.com.br/pt/

Novas regras para a mineração Brasileira

 

No dia 25 de julho o governo brasileiro anunciou um pacote de três medidas provisórias que integram o Programa de Revitalização da Indústria Mineral Brasileira. Dentre as mudanças anunciadas estão a criação da Agência Nacional de Mineração (ANM) que substituirá o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), alterações nas alíquotas da Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM) e no Código de Mineração.

Alíquotas - Entre as alíquotas de minerais alteradas estão a do ferro, que poderá variar dos atuais 2%, chegando até 4%. Também as alíquotas do nióbio, diamante e ouro também subiram, aumentando de 2% para 3%, no caso dos dois primeiros minerais; e de 1% para 2%, no caso do ouro.

Os agregados para construção civil foram os únicos que tiveram redução na cobrança. O governo reduziu de 2% para 1,5% os valores cobrados por minerais de uso imediato na construção civil. O secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, Vicente Lôbo, defendeu a redução justificando que “o valor da matéria-prima é muito baixo e as indústrias são geradoras de empregos”.

CFEM - Atualmente cobrada com base na receita líquida das empresas, a CFEM passará a incidir sobre a receita bruta, e entram na conta gastos com transporte e seguro.

ANM - A Agência Nacional de Mineração (ANM) assumirá todas as funções do DNPM e atuará, também, na regulamentação do setor. O governo espera, com isso, reduzir a burocracia e aumentar a transparência e agilidade do setor minerário.

Os objetivos declarados do governo com a alteração das alíquotas são aumentar a arrecadação e melhorar a participação do setor no PIB brasileiro. “Ano passado a gente arrecadou perto de R$1,6 bilhão com o CFEM e a expectativa é que a gente possa aumentar 80% esse valor. O fato é que hoje já tem muita judicialização sobre isso, por ser cobrado em cima do faturamento líquido. Passando para o bruto, a gente traz um realismo para o setor”, defendeu o ministro de Minas e Energia Fernando Coelho Filho.

Para o presidente da Associação Nacional das Entidades de Produtores de Agregados para a Construção, Fernando Valverde as mudanças propostas para o setor de agregados foram bem aceitas pelos empresários já que questões importantes como a eliminação dos municípios no registro de licenciamento, a permanência do licenciamento com base na Lei 6567/78 e a respectiva dualidade com o regime de concessão foram mantidos. “Além disso, antigo anseio em tornar o DNPM mais ágil para melhor atender o setor mineral foi atendido com a criação da Agência Nacional de Mineração” explica Valverde.

* Com informações da Agência Brasil/EBC

Indústria brasileira volta a crescer

 

Desempenho foi influenciado pelos setores mineral (+0,7%), indústria de transformação, que se manteve estável, e eletricidade (+1,1%)

 

Depois de cinco trimestres em queda, a indústria começa a dar os primeiros sinais de recuperação. Entre o primeiro e o segundo trimestre, o setor colaborou positivamente para o Produto Interno Bruto (PIB) ao crescer 0,3%.

Os dados foram divulgados, nesta quarta-feira (31), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse desempenho foi influenciado por três setores: extrativo mineral (+0,7%), indústria de transformação (estabilidade) e eletricidade (+1,1%).

Os dados de produção industrial também refletem essa recuperação. Entre maio e junho houve avanço de 1,1% – a quarta alta consecutiva mensal no ano. A produção de bens de capital, que são usados para fabricar outros itens, registrou alta de 2,1% em junho, o sexto avanço em 2016.

Apesar da contribuição positiva da indústria no período, o resultado do setor não foi suficiente para deixar o Produto Interno Bruto (PIB) no azul – houve queda de 0,6% no segundo trimestre do ano.

Melhora do cenário

O resultado veio dentro das expectativas do mercado financeiro. Para reverter esse movimento de queda, o governo tem trabalhado para apresentar medidas de reorganização da economia e das contas públicas.

Entre elas está a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que cria um limite para a expansão dos gastos públicos. Depois de aprovada, ela vai devolver a confiança à economia brasileira, o que vai tirar mais investimentos da gaveta e, partir daí, será possível gerar emprego e renda.

Produção industrial

Fonte: Portal Brasil

Publicidade

Associe-se

Conheça as vantagens para se tornar um associado da ANEPAC.

Cadastre-se

Acompanhe as novidades e ações da ANEPAC.