Relacionamento (65)

Sub-categorias

Vitrine (8)

Ao longo dos seus 20 anos de existência, a ANEPAC vem trabalhando para o fortalecimento do segmento de agregados no Brasil, dentro do cenário econômico brasileiro, através de diversas ações junto aos setores público e privado. Muito tem sido feito neste período e os resultados são inegáveis.

Pensando em intensificar ainda mais este trabalho, a entidade está promovendo um redirecionamento de suas ações comerciais que têm como objetivo o estreitamento das relações com seus públicos, especialmente associados e parceiros comerciais.

Conheça a vitrine de produtos destinados aos parceiros da ANEPAC.

Ver itens ...

Posicionamento da Anepac Frente à Greve dos Caminhoneiros

Posicionamento da Anepac Frente à Greve dos Caminhoneiros

 

A Associação Nacional das Entidades de Produtores de Agregados para Construção (ANEPAC) vem manifestar apoio às medidas tomadas pelo governo federal para pôr fim à greve dos caminhoneiros que se prolonga desde o dia 21 de maio de 2018.

É importante ressaltar que o setor de agregados vem sofrendo, desde o ano de 2013, contínuas quedas de produção decorrentes da séria crise econômica que se instalou no País. Uma produção de 745 milhões de toneladas de areia e pedra britada em 2013, foi reduzida a 497 milhões de toneladas em 2017, ou seja, uma queda de 33%. Esta queda abrupta criou grandes problemas para as empresas que vinham investindo fortemente. Elas tiveram que se adequar à realidade demitindo e reduzindo investimentos.

O setor tinha boas expectativas para este ano, aguardando a retomada dos investimentos em infraestrutura e moradia, mas, como vários setores, foi atropelada pelo atual movimento dos caminhoneiros. Houve uma queda de 95% na entrega diária de areia e pedra britada (agregados para construção), produtos tão essenciais quanto alimentos e medicamentos, já que sem eles não há construção civil, nem manutenção de obras públicas e privadas. De mais de 1,5 milhão de toneladas de agregados entregues diariamente em obras e depósitos de materiais de construção, hoje se consegue entregar menos de 100 mil toneladas devido à falta de combustíveis e bloqueios injustificados. As mais de 3 mil empresas produtoras de areia e brita do país que empregam diretamente 70 mil pessoas estão sendo fortemente afetadas.

Julgamos que muitas das reivindicações dos caminhoneiros eram justas e houve boa vontade das autoridades para atendê-las. Com as conquistas que obtiveram, seria natural que o movimento acabasse, mas aproveitadores e pessoas que querem impor suas visões políticas radicais estão impedindo a retomada da normalidade.

À luz dessas considerações, torna-se necessário que o bom senso impere. Caso isto não aconteça, é necessário que as autoridades se posicionem efetivamente para restabelecer a ordem o mais rápido possível, evitando o caos, que somente interessa a radicais, e trazendo paz e tranquilidade à população brasileira.

A mineração está presente na realização do sonho da casa própria

Vídeo do IBRAM destaca a presença de minérios no dia a dia da construção civil

Quem nunca desejou ter uma casa própria? Um sonho presente na vida de milhões de brasileiros só pode ser realizado por meio da mineração. É isso que o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) quer mostrar com o novo filme institucional “Mineração: sempre presente em nossa vida”. “Ao fazer esta ligação na mente das pessoas, entre o produto final – ou seja, uma casa que se tornou um bem para o uso diário – e as matérias-primas, conseguimos atrair a atenção e a compreensão da sociedade para a essencialidade da indústria mineral empresarial em nossas vidas”, diz Paulo Henrique Soares, diretor de Comunicação do IBRAM.

Com imagens de projetos de arquitetura, intercaladas com cenas de objetos de decoração sendo colocados na casa e a alegria das famílias pela conquista, o roteiro conduz o espectador a reconhecer a mineração nos materiais utilizados pela construção civil para erguer paredes, tetos, pisos, janelas, entre outras partes que compõem as edificações.

De forma leve e atraente, o vídeo apresenta aos brasileiros o que poucos sabem: areia, pedra, brita, cascalho e argila, muito usados nas construções, são minerais. Denominados tecnicamente de agregados da construção civil, são extraídos em empreendimentos minerais situados mais próximos das cidades, como em pedreiras, por exemplo.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), a produção anual brasileira do conjunto de agregados é muito representativa. Em 2017 chegou a 420 milhões de toneladas, ficando em terceiro no País. Os agregados só não superaram a o minério de ferro e água mineral. “A tecnologia e as facilidades da vida moderna dependem essencialmente de produtos minerais. O que nem todos sabem é que a construção de estradas, pontes, casas, edifícios também depende da mineração. É preciso, portanto, apoiar esta atividade produtiva para sempre termos acesso aos suprimentos de minérios”, aponta Walter Alvarenga, diretor-presidente do IBRAM.

A produção do vídeo contou com a participação da Associação Nacional das Entidades de Produtores de Agregados para Construção (Anepac).

Mercado de agregados

Segundo dados da Anepac, o mercado brasileiro de agregados é atendido por diversos produtores. Atualmente, o setor reúne mais de 3.100 empresas, sendo 600 de produção de brita e 2.500 de extração de areia que, juntas, geram um total de 75 mil empregos diretos e 250 mil indiretos.

 

Ficha técnica:

Cliente: Instituto Brasileiro de Mineração

Produção: Tutano Filmes

Direção: Guilherme Mendes

Direção de Fotografia: Marcelo Borja

Design: Anna Paola Guerra

Animação: Hamilton Júnior, Bruno Cardieri e André Reis
Finalização: Marcelo Reis

Aprovação: Paulo Henrique Leal Soares, Diretor de Comunicação do IBRAM

Vídeo relacionado

Reunião setorial SINDIEXTRA - Agregados para Construção Civil.

 

SX000218 sindiextra convite

SOMAR Mineradora recebe o seu quarto Prêmio Chico Mendes.

 

A multipremiada SOMAR Mineradora recebeu o seu quarto troféu do Instituto Chico Mendes, na última semana, em São Paulo, pelas boas práticas de sustentabilidade utilizadas em mais de 30anos de atividades no setor da mineração de areia na Região Metropolitana de Porto Alegre. “Em um segmento importante como o da mineração de areia para a economia do País e para o setor da construção civil, é muito importante valorizar bons exemplos como o da SOMAR. Nossa área especializada tem feito avaliações muito positivas da empresa por meio de seus relatórios e visitas técnicas”, disse o presidente do Instituto Chico Mendes, Vito Milano.


A premiação criada para incentivar e disseminar a aplicação de novos conceitos de desenvolvimento sustentável é dividida em várias categorias e abrange a gestão responsável pública e privada, empreendimentos sustentáveis, produtos ecologicamente corretos e ações de destaque na área socioambiental. As empresas inscritas são analisadas por técnicos do Instituto Chico Mendes dentro de critérios que levam em consideração o potencial de poluição e grau de utilização de recursos naturais baseado na lei 10165/2000, observando-se a gestão de negócios e a gestão socioambiental, além de outros critérios pertinentes a cada uma das categorias do prêmio.

Quase 500 empresas se inscreveram no PROCERT das quais um pouco mais de 45 obtiveram a pontuação necessária para receber o aval da certificação e a autorização para a utilização do Selo Verde que promove a distinção e a valorização das marcas junto aos seus mercados consumidores.

A diretora executiva, Veronica Della Mea e a engenheira ambiental da empresa, Fernanda de Souza Silva, além de receberem uma das mais importantes premiações da área ambiental, acompanharam durante o dia o 4°Fórum Empresarial Chico Mendes de Sustentabilidade sobre o tema “Educação Ambiental – Ferramenta Base para Sustentabilidade Empresarial”, que reuniu nove especialistas.  “Nossa equipe, preocupada com a sustentabilidade como parte importante da gestão da empresa, vê reconhecido o seu trabalho com a premiação pela quarta vez consecutiva do Prêmio do Instituto Chico Mendes, que se soma as certificações nacional e internacional do ISO 14001/2015 de gestão ambiental e ISO 9001/2015 de gestão da qualidade”, diz Veronica Della Mea.

A primeira palestra do evento foi ministrada pelo biólogo Marat Guedes Barreiro Junior, auditor líder nas Normas NBR ISO 9001. 14001, FS 22000, seguido de Joana Da Silva Burgos Sousa,  supervisora de Relações Institucionais do Parque Ambiental do Consórcio de Alumínio do Maranhão – Alumar, Glacidalva César Araújo de Andrade, gerente de Projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Eficiência Energética da Eletrobras Distribuição Roraima, Jônathas Malaguth Costa, assessor de Meio Ambiente da Base Hidrográfica da Marinha em Niterói, Rogério Naccache, do Instituto  Jogue Limpo, onde tem a função de  garantir metas alinhadas com o Ministério do Meio Ambiente e o jornalista Ricardo Voltolini, diretor da plataforma Ideia Sustentável.

No período da tarde, o case ambiental do Sebrae Ceará foi apresentado pelo engenheiro civil Carlos Vianna Freire Júnior e na segunda apresentação, a bióloga e coordenadora de Educação Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Rachel Marmo Azzari Domenichelli, comentou os desafios da educação ambiental integrada à gestão estadual.  Ela é autora dos livros Sustentabilidade no Ambiente Escolar e Almanaque do Fundo do Mar, pela Editora Panda Books. Logo após, o engenheiro Lucas Vincícius Poletto Cardoso mostrou os resultados do case RAC-Engenharia e, por último, a plateia ficou atenta para ouvir o ambientalista Ulisses Girardi, presidente do Grupo Visafértil, empresa consagrada na produção de adubo orgânico com matérias-primas renováveis de indústrias e agroindústrias.

World Mining Congress 2018

O 25º Congresso Mundial de Mineração (World Mining Congress) será realizado entre os dias 19 e 22 de junho de 2018, em Astana, no Casaquistão.

O congresso é um evento global da indústria de mineração, que é realizado desde 1958 e reúne especialistas e cientistas de diferentes países que atuam no setor de desenvolvimento de depósitos minerais sólidos . 

Comemorando o 25º Aniversário, o Congresso Mundial da Mineração irá abordar desde a exploração e extração até o enriquecimento, desde avaliação de risco até atrair financiamento internacional. Paralelamente à conferência, haverá a exposição especializada internacional, bem como uma série de turnês industriais durante os quais os participantes serão apresentados com as instituições científicas e as empresas industriais do país anfitrião.

Espera-se que mais de 2000 delegados de 50 países do mundo façam parte do World Mining Congress em Astana, em uma exposição participarão de mais de 300 empresas.

 

Mais informações: https://www.wmc2018.org/en/

EXPOSIBRAM Amazônia 2018

Em 2018, EXPOSIBRAM Amazônia chega à 5ª edição, que conta também com a realização do Congresso de Mineração da Amazônia e a Exposição internacional de Mineração.

A Amazônia é uma das regiões com maior potencial mineral do mundo. Confere ao Brasil um dos desafios fundamentais para a nova economia mundial: produzir riquezas aliadas ao uso racional dos recursos disponíveis. Tudo isso com respeito ao meio ambiente, com responsabilidade e com promoção social. Diante deste cenário, o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) estimula há anos a atuação responsável por parte das mineradoras, desenvolvendo debates regionais, nacionais e internacionais relacionados ao assunto.

Informações gerais

http://portaldamineracao.com.br/exposibramamazonia/

Data: 

29 de outubro a 1º de novembro de 2018.

Horários de funcionamento:
O congresso ocorre das 14h às 17h30. É necessário fazer inscrição para participar.
A exposição está aberta à visitação do público, das 15h às 21h.

Local:
Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia – Avenida Doutor Freitas, S/N, Marco – Belém – Pará – Brasil

Principais setores participantes:
Indústria, governo e serviços.

Público-alvo:
Profissionais e pesquisadores dos setores públicos e privados, empresários, estudantes e professores, principalmente da Amazônia do Brasil.

Expectativa de público:
10 mil visitantes, durante os quatro dias de evento.

M&T EXPO 2018

A M&T EXPO – Feira Internacional de Equipamentos para Mineração e Construção completa 23 anos, com a realização de uma nova edição, em junho de 2018.

Considerado o maior evento de negócios do setor na América Latina e uma das principais exposições do segmento em nível mundial, a feira, promovida a cada três anos, tem sua trajetória bem-sucedida ligada diretamente à evolução da área de máquinas no Brasil.

 

Informações gerais;

Data: 5 a 8 de Junho, 2018

Horário: 13h às 20h

Local: São Paulo Expo, SP

http://www.mtexpo.com.br/

49º Congresso Brasileiro de Geologia

O 49º Congresso Brasileiro de Geologia (49 CBG) será realizado de 20 a 24 de agosto de 2018, na Cidade do Rio de Janeiro, no Centro de Convenções Sul América, com o objetivo de integrar a academia, empresas, profissionais e, também, a sociedade, através da realização de palestras, discussões, cursos e eventos paralelos na área de Geologia e Geociências, incluindo os Simpósios de Vulcanismo e Ambientes Associados e do Cretáceo do Brasil.

Os congressos brasileiros são tradicionalmente realizados pela Sociedade Brasileira de Geologia de dois em dois anos. Assim, o congresso de 2018 será organizado com a missão de avaliar os principais acontecimentos dos últimos dois anos, com muita coisa a ser comemorada, em contraponto à necessária reflexão profunda sobre o futuro da Geologia e das Geociências na construção do futuro de nosso País.

Mais informações: www.49cbg.com.br

Contribuição CFEM

 

A ANEPAC em negociação com o DNPM conseguiu tornar mais justa a alíquota de recolhimento da CFEM para as empresas de agregados para construção civil que passa a ser de 1% à partir de agora.

Para garantir a alíquota é necessário seguir os seguintes passos: Ao entrar no sistema para gerar o boleto da contribuição, aparece a pergunta “a substância possui um tipo de usos específico?” – O contribuinte deve responder SIM. Em seguida, vai abrir um campo onde se lê “construção civil” e a alíquota de 1%.

 

A CFEM é devida toda e qualquer pessoa física ou jurídica habilitada a extrair substâncias minerais para fins de aproveitamento econômico. Ela deve ser paga mensalmente até o último dia útil do mês subseqüente por meio de boleto bancário gerado à partir do site do DNPM (www.dnpm.gov.br).

Curso Ciclo do Concreto. Qual é minha responsabilidade?

 

O curso Ciclo do Concreto foi preparado para esclarecer e sensibilizar os participantes para as responsabilidades de cada profissional em todas as etapas do concreto desde à matéria-prima, produção, transporte, recebimento, lançamento/aplicação, acabamento, cura e manutenções preventiva e corretiva.

Público-alvo: Engenheiros, técnicos, mestres de obras, consultores, estudantes e profissionais de construtoras, concreteiras e indústrias de pré-fabricados ligadas às etapas do Ciclo do Concreto.

Data: 16 de setembro 2017

Local: Centro Universitário Newton Paiva - Unidade Silva Lobo - Belo Horizonte/MG

Programação:

8h – Módulo I - Matéria-prima e produção

  • Conceitos de concreto
  • Matéria-prima
  • Controle
  • Produção do concreto
  • Transporte

10h – Caffee Break

10h15 – Módulo II - Obra

  • Solicitação do concreto
  • Recepção (critérios de avaliação)
  • Lançamento
  • Adensamento
  • Acabamento
  • Cura

 12h – Encerramento

Instrutor: Jonhson Rigueira – Engenheiro civil graduado pela UFMG, mestre e doutor pela Universidade Politécnica de Valencia (Espanha). Com mais de 15 anos de experiência, nacional e internacional, já atuou nas indústrias do cimento, agregado, concreto, aditivos e pré-moldado. Diretor da Ribeiro Rigueira Engenharia e Consultoria; diretor regional do Instituto Brasileiro do Concreto – IBRACON/MG e professor de pós-graduação no Instituto IDD – Curitiba, ministrando a disciplina de Concretos Especiais.

Inscrições: https://www.sympla.com.br/ciclo-do-concreto-qual-a-minha-responsabilidade__167470

Informações: (31) 2535-7464 ou contato@a2bcomunicacao.com.br

 

Publicidade

Associe-se

Conheça as vantagens para se tornar um associado da ANEPAC.

Cadastre-se

Acompanhe as novidades e ações da ANEPAC.